4 riscos de segurança da informação que você precisa conhecer

O investimento na segurança da informação digital é um dos tópicos mais recorrentes no que tange à TIC nas corporações, sobretudo pelo fato das empresas serem os principais alvos de cibercrimes.

Tamanho alarde se dá por algumas questões, como o reconhecimento das empresas quanto aos dados serem ativos de grande valor e, também, da vulnerabilidade que apresentam às ameaças virtuais.

A sua empresa conhece os riscos que a cercam? Embora esteja ciente da importância de proteger os dados, você sabe o que fazer para proteger a empresa do perigo?

Neste artigo falaremos brevemente sobre os 4 riscos de segurança da informação mais comuns e também forneceremos as dicas para blindar o ambiente. Continue lendo!

4 riscos comuns e atuais de segurança da informação

1. Malware

Você já ouviu falar em malware, certo? A ameaça é conhecida como software malicioso, pois ele aparenta ser inofensivo, mas, na verdade, carrega vírus que abrem brechas para invasores.

Ultimamente se tem falado nos catastróficos ataques de ransomware — esse é um ótimo exemplo de malware a se observar. O descuido dos funcionários ao navegar pela Internet é o que costuma dar origem às infecções.

2. Engenharia social

As práticas de engenharia social estão entre as mais antigas ameaças externas de segurança da informação. Elas consistem em explorar pessoas que tenham acesso aos dados sigilosos da empresa, induzindo-as ao erro de facilitar involuntariamente o caminho para o vazamento de informações.

É essencial que todos os funcionários saibam identificar tais práticas. Isso, no entanto, pode requerer uma série de treinamentos, orientações e iniciativas de conscientização.

3. Ataques e invasões à rede

Nos últimos anos houve constante frequência de invasões a redes de dados, sobretudo a partir dos ataques de negação de serviço (DDoS – Distributed Denial of Service).

Ele consiste em gerar sobrecarga nos recursos de infraestrutura e consumo de banda larga fazendo com que sistemas sejam interrompidos, o que traz riscos à integridade dos dados.

A prevenção a esse tipo de evento está ligada à segurança de TI, ou seja, proteção dos ativos que compõem a infraestrutura de TI da empresa.

4. Exploração de vulnerabilidades

O uso de produtos de software e sistemas obsoletos — ou desatualizados —, por exemplo, abre novas brechas que são exploradas pelos hackers, sendo assim, facilitam o acesso à rede.

Porém, esta é apenas uma das diversas vulnerabilidades que o ambiente computacional da empresa pode apresentar. Outros exemplos comuns são:

  • não estabelecimento de regras claras e controle sobre a navegação dos funcionários;
  • uso de senhas inseguras para acesso ao sistema;
  • negligência quanto a auditorias de TI;
  • falta de práticas de segurança ligadas ao ethical hacking (hacking ético).

4 dicas para começar a proteger as informações da empresa

1. Invista em serviços de consultoria e auditoria

Supondo que a empresa não tenha uma equipe de especialistas em segurança, é recomendável optar por serviços de auditoria para identificar fatores de risco.

A consultoria, por sua vez, é importante no sentido de nortear a empresa acerca de ações necessárias para reforçar a segurança da informação.

2. Crie uma política de segurança da informação

Na medida em que todos os colaboradores têm acesso a dados e informações, eles devem se incumbir de assegurar que os princípios de confidencialidade, integridade e disponibilidade sejam seguidos.

A política de segurança da informação é um recurso fundamental para que os funcionários recebam orientações, conheçam as melhores práticas de uso dos ativos de TI, tomem ciência das responsabilidades etc.

3. Utilize recursos modernos para cópias de segurança

Se a empresa utiliza meios ultrapassados para fazer o backup dos arquivos, como armazenamento em dispositivos físicos, é importante dar espaço à evolução, optando pelo backup automático (tempo real).

4. Criptografe dados sigilosos e mensagens de e-mail

A criptografia tem sido muito utilizada pelos próprios cibercriminosos com intuito de bloquear o acesso às informações e, então, praticar a extorsão. Contudo, o método pode — e deve — ser utilizado para proteger.

Investir em ferramentas avançadas de criptografia é uma solução que garante a confidencialidade dos dados, tornando-os acessíveis somente a usuários credenciados, e que pode ser aplicada em arquivos e conversas de e-mail.

Gostou do conteúdo? Acha que ele pode ser útil para algum amigo? Compartilhe-o agora mesmo nas suas redes sociais!

Posts relacionados

Deixe um Comentário